Viagens tropicais e exóticas sempre em segurança - Médicos de Portugal

A carregar...

Viagens tropicais e exóticas sempre em segurança

10 Agosto, 2014 0

O tempo é de férias. Para todos aqueles que procuram destinos tropicais e desejados há muito, todo o cuidado é pouco. Há que desfrutar e aproveitar todos os momentos, seja em lazer ou em estadias profissionais. Para prevenir todos os riscos que se podem cruzar consigo durante uma viagem, existem consultas do viajante em vários hospitais do país que podem ser essenciais para que os dias fora de Portugal sejam de sonho e não se transformem num pesadelo.

Nem todas as pessoas a conhecem ou sentem alguma vontade de a frequentar. Talvez porque desconheçam o conjunto de informações relevantes que irão adquirir e os riscos que podem evitar se marcarem uma consulta do viajante. A sua importância é sobejamente conhecida. “Trata-se de uma consulta de riscos em que se pretende estabelecer o risco que determinado viajante terá ao deslocar-se para determinadas zonas”, esclarece o Dr. Jorge Atouguia, especialista em doenças infecciosas e em Medicina Tropical do Instituto de Medicina Tropical e director clínico da Clínica de Medicina Tropical e do Viajante.

Na consulta, é necessário saber quais são as suas condições de saúde, quais são os riscos que existem no(s) destino(s) que irá visitar e quais são as actividades que o viajante vai desenvolver que poderão aumentar ou diminuir o risco. “Vivemos num local específico durante a maior parte do ano, temos hábitos regulares e o nosso organismo está adaptado a essa realidade”, acrescenta o infecciologista.

Quando uma determinada pessoa se desloca, seja em trabalho, seja em lazer, é importante prevenir que adoeça durante a estadia de forma a não comprometer a sua ida e o seu regresso.

Jorge Atouguia defende que “esta consulta é indicada sobretudo para sensibilização das pessoas para as formas de prevenção dos riscos que podem surgir. Felizmente, já começo a receber muitas pessoas na consulta, não só para fazer vacinas mas para perceber, na prática, quais os riscos associados à viagem. Todos os anos podem surgir novos riscos para o mesmo destino porque as situações epidemiológicas dos viajantes estão sempre a mudar e porque em qualquer momento pode surgir um novo surto epidémico, sobretudo nos destinos tropicais.” Isto significa que ainda que o leitor viaje regularmente para um mesmo local, não está isento de riscos. “Esta é uma ideia errada. Quando viajamos com muita frequência para uma mesma área, sobretudo nos países de expressão portuguesa, vamos pensando que estamos cada vez mais seguros e vamo-nos adaptando ao destino e já nos sentimos em casa”, explica Jorge Atouguia reforçando que “se formos para a China e para a Tailândia, já nos lembramos mais facilmente de eventuais riscos”.

[Continua na página seguinte]

Doenças comuns em algumas viagens

A diarreia do viajante é claramente a doença mais frequente. Alguns destinos, devido às suas condições de ecossistema, são mais quentes e húmidos e com menores condições de qualidade alimentar. Refira-se ainda o problema da falta de água potável em alguns destes destinos.

“De seguida, temos a malária que é uma doença menos frequente mas que pode evoluir para formas muito graves e até mesmo para a morte sobretudo para quem nunca teve a patologia”, esclarece Jorge Atouguia. É uma patologia que pode evoluir muito rapidamente e o problema chave está nas pessoas que nunca a contraíram. “A pessoa que já teve várias vezes a doença durante a vida foi criando algum tipo de imunidade e os sintomas diminuem de intensidade. As pessoas que nunca tiveram malária devem ter sempre o máximo de cuidado do ponto de vista da infecção”. O mosquito responsável pela transmissão da malária pica à noite, entre o pôr e o nascer do sol. Dá pelo nome de anopheles e invade os quartos dos viajantes sem pedir autorização. “Por isso, pedimos às pessoas para terem alguns cuidados com os quartos onde vão ficar instalados. Devem ser muito bem protegidos, e, de preferência, ter ar condicionado, ventilador e/ou rede mosquiteira”, esclarece o infecciologista.

Páginas: 1 2 3

ÁREA RESERVADA

|

Destina-se aos profissionais de saúde

Informações de Saúde

Siga-nos

Copyright 2017 Médicos de Portugal por digital connection. Todos os direitos reservados.