Proteção Solar: Faça do sol um amigo, esteja sempre protegido - Médicos de Portugal

A carregar...

Proteção Solar: Faça do sol um amigo, esteja sempre protegido

17 Julho, 2014 0

O verão está aí e com ele a vontade de ir à praia! Ou à piscina! Ou passear de bicicleta pelo campo, sem se preocupar com nada. É, no entanto, aí que se engana. É nesta altura do ano, em que nos expomos mais à radiação solar, que devemos dar uma atenção especial à proteção da nossa pele.

A luz do sol é essencial para a sobrevivência na Terra, inclusivamente para os seres humanos. Sem a luz do sol não poderia existir vida. No entanto, o sol emite radiações que, ao atingirem direta ou indiretamente a Terra, podem causar danos.

A luz solar é constituída por vários tipos de radiação, entre as quais as radiações ultravioletas (UV). Existem três tipos de radiações UV: UVA, UVB e UVC. Todos diferem entre si no comprimento da onda: os raios com maior comprimento de onda são os UVA, seguidos pelos UVB e finalmente pelos UVC, os raios com menor comprimento de onda, mas potencialmente mais perigosos. Ao atingir a nossa pele, os raios UV desencadeiam diversas reações imediatas.

A totalidade da radiação UVC e 90% da radiação UVB não chega a atingir a Terra, uma vez que são filtrados e absorvidos pela camada de ozono. Assim, a radiação que atinge a superfície terrestre corresponde, maioritariamente à radiação UVA e a uma pequena percentagem de UVB. Atualmente, com a cada vez mais evidente destruição da camada de ozono, mais facilmente os raios podem atravessar toda a atmosfera sem serem absorvidos e atingir a nossa pele, causando efeitos negativos sobre a sua saúde. Quanto menos a atmosfera da Terra filtrar a radiação, mais perigosa se pode tornar para os seres humanos.

A exposição prolongada ou inadequada a estes raios pode resultar em efeitos imediatos como as queimaduras solares, e em efeitos cumulativos, que se traduzem pelo fotoenvelhecimento, caracterizado pelo acentuar de rugas, manchas pigmentadas, fragilidade cutânea e risco acrescido de cancros da pele. Para minimizar a sua ocorrência é essencial o uso de protetor solar com elevado índice de proteção. No entanto, mesmo com o protetor solar, é importante evitar uma exposição prolongada ao sol. O bronzeado que hoje é tão apreciado e esteticamente desejado é uma reação da pele à agressão pela radiação UV, produzindo pigmentação adicional que confere alguma proteção, embora não suficiente, contra as queimaduras solares.

Não se pode esquecer de que a radiação solar está presente durante todo o ano, com mais intensidade no verão, claro! Mas a proteção deve ser feita diariamente. E durante o dia existem várias alterações na intensidade destes raios, que são mais periogosos entre as 10h00 e as 16h00.

Após a exposição ao sol, a pele demora entre 48 e 72 horas para aumentar a produção de melanina (o pigmento que dá cor à pele) e a transferi-la para as células superficiais. No entanto, a melanina produzida não é suficiente para proteger a sua pele das agressões do sol. Uma exposição continuada ao sol, mesmo depois de passadas as 72 horas continua a prejudicar a sua pele e a sua saúde. A radiação solar pode provocar danos irreversíveis que se acumulam e o prejudicam.

[CONTINUA NA PÁGINA SEGUINTE]

Páginas: 1 2 3 4

ÁREA RESERVADA

|

Destina-se aos profissionais de saúde

Informações de Saúde

Siga-nos

Copyright 2017 Médicos de Portugal por digital connection. Todos os direitos reservados.