Rabinhos assados - Médicos de Portugal

A carregar...

Rabinhos assados

13 Julho, 2014 0

Dos rabinhos inflamados pelo contacto com a urina e as fezes diz-se que ficam “assados”. Porque vermelho é a cor de um incómodo que se alivia e, sobretudo, se previne.

O eritema da fralda ou dermatite da fralda iritativa primária – assim se designa esta condição mais conhecida como assadura da fralda – é o problema dermatológico mais comum entre os bebés. Todos passam por ele, com mais ou menos frequência, durante os primeiros 15 meses de vida.

A pele da zona coberta pela fralda – daí o nome – surge marcada a vermelho, com áreas de inflamação mais ou menos acentuadas que abrangem as nádegas, os genitais e o interior das coxas. O bebé dá sinais de desconforto, agitando-se ou chorando, em particular quando a pele assim irritada é tocada. Mesmo a fralda pode incomodar.

É um problema intermitente que decorre, quase sempre, do contacto excessivo com a urina e/ou fezes: os resíduos orgânicos libertam substâncias, como a amónia, que se julgava ser a causa mas que é o factor de agravamento quando a pele está lesada.

O que acontece é resultado final de uma série de acontecimentos, que se desencadeiam inicialmente por lesões na camada superficial da pele, induzidos por exposição a múltiplos factores como a hiperhidratação, fricção, temperatura, irritantes químicos, urina e fezes. Após comprometimento da barreira cutânea, vários factores adicionais do mesmo tipo potenciam estas alterações, originando um ciclo vicioso.

Assim acontece quando o bebé está muito tempo sem que lhe seja trocada a fralda: quanto mais tempo o rabinho está exposto maior a probabilidade de inflamação.

A introdução de novos alimentos pode ajudar. À medida que o bebé experimenta alimentos sólidos, o que ocorre a partir dos quatro meses, o conteúdo das fezes vai mudando, podendo aumentar a probabilidade de eritema da fralda.

As mudanças na dieta do bebé podem ainda tornar mais frequentes as fezes, o que predispõe ainda mais à irritação cutânea.

Há rabinhos mais sensíveis do que outros: são os dos bebés que sofrem de dermatite atópica ou eczema.

Neles a assadura da fralda é mais comum, embora a sensibilidade se estenda a outras partes do corpo.

O uso de antibióticos é outro dos factores passíveis de contribuir: é que estes medicamentos matam as bactérias – as más, mas também as boas, perturbando o equilíbrio natural entre estes microorganismos, abrindo caminho ao desenvolvimento de infecções fúngicas num ambiente já de si propício: é que a zona da fralda é quente e húmida.

[Continua na página seguinte]

Deixar a pele respirar

O eritema da pele é um problema comum e ligeiro, que se trata facilmente com a pele a recuperar ao fim de poucos dias. É, no entanto, preciso impedir que a inflamação progrida, pois há o risco de uma infecção bacteriana.

Assim, se a assadura não desaparecer, se surgirem bolhas ou pus, se o bebé tiver febre há que consultar um médico.

Mas este é um cenário extremo. Porque, geralmente, um rabinho assado trata-se com gestos simples e caseiros. Os mesmos que ajudam a prevenir. Antes de mais é importante mudar a fralda com regularidade, assim que estiver molhada ou suja.

Páginas: 1 2

ÁREA RESERVADA

|

Destina-se aos profissionais de saúde

Informações de Saúde

Siga-nos

Copyright 2017 Médicos de Portugal por digital connection. Todos os direitos reservados.