Nas crianças, usar sem abusar - Página 2 de 2 - Médicos de Portugal

A carregar...

Nas crianças, usar sem abusar

20 Dezembro, 2014 0

O que explica que algumas doenças sejam mais comuns nos primeiros anos e que depois diminua a probabilidade de acontecerem. Assim se explica também que a altura imediatamente a seguir à entrada da criança na creche ou infantário seja aquela em que ocorrem mais episódios de doença, após o que organismo se vai familiarizando com o ambiente e ganhando resistências.

Assim, perante uma das “famosas” viroses infantis, o que há a fazer é colocar a criança em repouso e actuar sobre a febre e outros sintomas como a tosse e dor de garganta.

Alguns dias são, normalmente, suficientes para a criança voltar a sentir-se bem.

[Continua na página seguinte]

Para um uso correcto

Em nome da saúde da criança, mas também da saúde pública, importa usar os antibióticos de forma correcta. Assim:

– Não pressione o médico para receitar antibióticos;

– Não peça ao farmacêutico para os dispensar sem receita médica;

– Respeite as doses e os intervalos entre tomas indicados pelo médico;

– Faça o tratamento até ao fim, durante o período indicado pelo médico;

– Não interrompa o tratamento se a criança se sentir melhor;

– Não dê à criança sobras de antibiótico usado noutra situação nem antibiótico receitado a outra pessoa, mesmo que a doença lhe pareça a mesma.

www.anf.pt

Páginas: 1 2

ÁREA RESERVADA

|

Destina-se aos profissionais de saúde

Informações de Saúde

Siga-nos

Copyright 2017 Médicos de Portugal por digital connection. Todos os direitos reservados.