Insuficiência venosa crónica: Pernas pesadas e cansadas - Médicos de Portugal

A carregar...

Insuficiência venosa crónica: Pernas pesadas e cansadas

5 Junho, 2014 0

As varizes são uma das manifestações da insuficiência venosa, uma doença que pode desencadear complicações se não for diagnosticada e tratada atempadamente. É, no entanto, possível prevenir o seu aparecimento.

Sensação de cansaço e de peso nas pernas, dores, inchaço dos membros inferiores são os sintomas iniciais e frequentes da insuficiência venosa crónica, uma patologia que pode resultar do funcionamento incorreto do sistema venoso.

O transporte do sangue no sentido ascendente (dos pés para o coração) é feito através do sistema venoso, com o auxílio de válvulas unidirecionais que asseguram o retorno do sangue. Quando a função das válvulas fica comprometida, o transporte venoso não é efetuado corretamente. Esta anomalia causa um aumento da pressão venosa a nível dos membros inferiores e sintomas que muitas vezes são descurados.

A maioria das pessoas com insuficiência venosa crónica tem apenas varizes. E é por ser esta a manifestação mais frequente que não raras vezes se designa a patologia simplesmente por varizes. Mas, na verdade, a insuficiência venosa crónica pode evoluir para formas bastante complexas. Assim, numa fase mais avançada, podem aparecer lesões tróficas (zonas descamativas e acastanhadas no terço inferior das pernas) ou úlceras da perna.

CAUSAS E DIAGNÓSTICO

O diagnóstico da insuficiência venosa crónica é feito primariamente pelo médico, que avalia a situação com base na sintomatologia e através de um exame físico. É depois confirmado através de Eco-Doppler, um exame que permite identificar a presença de refluxo e potencial oclusão das veias.

Podem ser várias as causas de insuficiência venosa, desde uma fraqueza na estrutura das veias dos membros inferiores ou a existência prévia de trombose venosa profunda (oclusão do sistema venoso profundo de um membro), ou ainda malformações congénitas.

[CONTINUA NA PÁGINA SEGUINTE]

PREVENÇÃO E TRATAMENTO FARMACOLÓGICO

É possível prevenir a progressão da insuficiência venosa crónica. Como? Em todas as fases da doença, é fundamental a utilização de compressão elástica, através de meias de descanso ou de compressão.

É essencial ter noção da cronicidade da patologia, pois a prevenção pode ser necessária mesmo que tenha sido feito um tratamento. Em todas as situações, os cuidados preventivos facilitam o retorno venoso do sangue, diminuem as queixas, evitam a dilatação das veias e atrasam a evolução da doença.

A utilização de fármacos venoativos é igualmente importante, na medida em que ajudam a melhorar o tónus das veias, a prevenir o refluxo venoso, a diminuir a inflamação causada e seus respetivos os sintomas.

Como o excesso de peso é um fator de risco para o desenvolvimento da doença venosa, a pessoa deve procurar perder peso, se necessário. Praticar regularmente atividade física, como andar a pé, fazer ginástica ou hidroginástica também é benéfico para melhorar a circulação venosa.

Repousar com as pernas mais elevadas do que o resto do corpo é igualmente importante, assim como massajar as pernas de baixo para cima, de modo a impulsionar o sangue no sentido ascendente, porque pode melhorar a sintomatologia.

OUTRAS SOLUÇÕES TERAPÊUTICAS

Estão disponíveis diversas alterativas terapêuticas consoante a fase da doença. As telangiectasias (vulgares derrames) constituem, quando isoladas, uma manifestação muito inicial da doença. Afetam especialmente as mulheres, por questões hormonais, e são cada vez mais frequentes, devido ao atual estilo de vida ocidental.

Existem vários tratamentos para as telangiectasias, desde a escleroterapia (“secagem”) até ao laser transcutâneo.

[CONTINUA NA PÁGINA SEGUINTE]

Páginas: 1 2

ÁREA RESERVADA

|

Destina-se aos profissionais de saúde

Informações de Saúde

Siga-nos

Copyright 2017 Médicos de Portugal por digital connection. Todos os direitos reservados.