«Toca a mexer, pela sua saúde» Fisioterapeutas dedicam exposição aos mais velhos - Médicos de Portugal

A carregar...

«Toca a mexer, pela sua saúde» Fisioterapeutas dedicam exposição aos mais velhos

1 Novembro, 2004 0

A terceira idade é das faixas etárias mais frágeis da nossa sociedade. É a população idosa que, por diversas razões, é atendida com uma maior frequência nos hospitais. Foi a esta conclusão que chegaram os profissionais do sector de Fisioterapia do Serviço de Medicina Física e Reabilitação do Hospital de Nossa Senhora do Rosário, SA, no Barreiro, depois de uma análise casuística refe­rente aos utentes tratados pela Fisioterapia nesse hospital.

Por isso, este ano, a equipa de fisiote­rapeutas desta unidade hospitalar preferiu destacar a promoção da saúde na população idosa através de uma exposição, organizada no âmbito da celebração do Dia Mundial da Fisioterapia (8 de Setembro).

De acordo com a Dr.ª Cristina Brandão, fisioterapeuta, técnica coordenadora de Fisioterapia do HNSR, SA, «o objectivo destes profissionais passa pela divulgação da Fisioterapia em Portugal, associando-se às comemorações promovidas a nível mundial pela World Confederation for Physical Therapy, da qual a Associação Portuguesa de Fi­sio­terapeutas é membro efectivo e, ao mesmo tempo, prevenir e ensinar os cuidados básicos, indispensáveis a uma vida com qualidade».

A mensagem aos idosos e à comunidade em geral foi transmitida através de uma exposição que esteve patente no átrio principal do hospital, entre 30 de Agosto e 17 de Setembro.

Mobilidade retarda problemas inerentes à velhice

Quando a população idosa está internada no hospital é pedida ajuda, em grande parte dos casos, aos fisioterapeutas.

Cristina Brandão destaca essas situa­ções:

«Neste hospital, segundo a nossa casuística, a intervenção dos fisioterapeutas é requerida com mais frequência no doente com patologia respiratória, seguindo-se a patologia neurológica, nomeadamente o acidente vascular cerebral (AVC), e depois as patologias ortotraumatológicas. Como tal, privilegiámos estas três áreas na nossa exposição.»

O lema é «Toca a mexer, pela sua saúde». O sector de Fisioterapia incentiva a integração do idoso em classes de mobilidade global e alerta que, assim, se previne e retarda a instalação de défices motores intrínsecos ao envelhecimento.

«O objectivo é sensibilizar as pessoas para a prática do movimento e a forma como podem promover a sua saúde. Normalmente, todos nós pensamos que os profissionais de saúde são “responsáveis” pela nossa saúde. No entanto, cada um de nós deve ser o agente de mudança em termos de mentalidade e comportamento, tornando-nos co-responsáveis pela melhoria da nossa qualidade de vida», esclarece a fisioterapeuta Cristina Brandão.

Entre outras causas, os acidentes vascula­res cerebrais devem-se, muitas das vezes, no caso dos idosos, ao sedentarismo. Além do mais, a imobilidade traz outras consequências como as infecções respiratórias, que na população idosa pode ser uma das causas de morte.

Cuidado para não cair!

As quedas são responsáveis por muitos dos traumatismos que conduzem os idosos aos hospitais. Pequenos desequilíbrios ou tropeções em objectos podem ter consequências e desencadear graves problemas para estas pessoas com idade avançada.

As sequelas mais frequentes das quedas são as fracturas do colo do fémur, ocorrendo também fracturas do membro superior e da coluna vertebral, muitas vezes, culpadas pelo fim da vida activa de uma pessoa idosa. Mas existem formas de prevenir estes acidentes.

«Se calhar, basta a introdução de pe­quenas mudanças na rotina diária e no am­biente envolvente. No fundo, pretende-se alertá-los para estes aspectos, que podem ajudar a prevenir as quedas e evitar as consequências que delas poderão advir. Por vezes, a queda de uma pessoa de 80 anos, que até tinha algum tipo de mobilidade, pode significar o acamamento para o resto da vida», conforme explica Cristina Brandão.

«É necessário haver regras e serem cumpridas directrizes na orgânica da própria casa», alerta a profissional, que deixa pequenas pistas para evitar as perigosas quedas:

«Colocar tapetes antiderrapantes, ter cuidado com os fios eléctricos e dos tele­fones espalhados pelo chão, quando têm animais ter cuidado para não tropeçar neles, iluminar bem os locais, ter o cuidado de pôr os óculos se acordar de noite, colocar corrimões, etc.»

A «receita» para uma vida saudável em idade avançada não é difícil de cumprir, basta fazer pequenas caminhadas e não ficar todo o dia sentado em casa.

«O idoso, sendo cuidadoso, mantendo-se activo e aderindo a programas de mobilidade, pode melhorar a fixação de cálcio a nível ósseo, prevenindo a osteo­porose e a instalação da dor articular. Concomitantemente, também promove a condição cardiovascular, o equilíbrio e a coordenação. Desta forma, podem prevenir-se quedas e minorar alguns dos efeitos do envelhecimento». Esta é a mensagem deixada pela terapeuta Cristina Brandão, que evidencia o objectivo da exposição a propósito do Dia Mundial da Fisioterapia.

Páginas: 1 2

ÁREA RESERVADA

|

Destina-se aos profissionais de saúde

Informações de Saúde

Siga-nos

Copyright 2017 Médicos de Portugal por digital connection. Todos os direitos reservados.