Azia na gravidez - Médicos de Portugal

A carregar...

Azia na gravidez

15 Maio, 2014 0

AZIA, O QUE É? A azia (ou pirose), caracteriza-se por uma sensação de queimadura ou de ardor no peito, atrás do esterno, que se pode alastrar até à garganta, deixando um paladar amargo. De um modo geral, a azia resulta do refluxo do conteúdo do estômago para o esófago, através do esfíncter esofágico inferior – é uma situação designada por refluxo gastro-esofágico (RGE).

Pode manifestar-se nas grávidas sobretudo à medida que a gravidez avança. Há mesmo estudos que indicam que cerca de 3 em 4 mulheres grávidas já sofreram de azia no terceiro trimestre da gravidez.

QUAIS SÃO AS CAUSAS DA AZIA NA GRAVIDEZ?

Durante a gravidez, o organismo produz uma hormona (a progesterona) que torna a digestão mais lenta e relaxa a válvula muscular entre o esófago e o estômago, aumentando o risco do refluxo ácido.

Em consequência, existe um risco acrescido de retorno dos ácidos estomacais para o esófago, provocando uma sensação de ardor no peito e na garganta.Acresce que nas fases mais avançadas da gravidez (terceiro trimestre), os sintomas também podem ser provocados pela pressão física causada pelo bebé no trato digestivo da mulher, fazendo pressão sobre o esfíncter.

SINTOMAS DO REFLU XO ÁCIDO NA GRAVIDEZ

O refluxo ácido e a indigestão na grávida podem também causar outros sintomas, para além da azia, como seja:

> Dor abdominal superior ou desconforto

> Dor no centro do peito atrás do esterno

> Náuseas e vómitos

> Inchaço

> Sensação de enfartamento, depois de comer.

Estes sintomas tendem a desaparecer após o parto.

[CONTINUA NA PÁGINA SEGUINTE]

PREVENÇÃO DA AZIA NA GRAVIDEZ

Algumas alterações no estilo de vida da grávida poderão contribuir para prevenir a azia. Por exemplo:

> Comer pequenas refeições, cinco a seis vezes ao dia, em vez de três grandes refeições.

> Evitar deitar-se logo a seguir às refeições.

> Evitar bebidas e alimentos que provoquem azia: café, refrigerantes, frutas ácidas, chocolate, pimenta, picante, tomate, fritos, entre outros.

> Elevar a cabeceira cerca de 10 a 15cm, colocando uma altura por baixo dos pés da cama ou utilizando uma almofada em cunha.

Adaptar os hábitos alimentares durante o período da gravidez é fundamental. Os alimentos e as bebidas que possam favorecer a azia, caso da cafeína, os refrigerantes, os pratos altamente condimentados e gordurosos, devem ser consumidos com moderação ou preferencialmente banidos. Também a escolha de um regime alimentar com pequenas refeições facilita o processo da digestão e permite evitar que se acumule uma grande quantidade de alimentos no estômago, prevenindo deste modo possíveis sintomas de azia. No final da gravidez, quando o bebé tem cada vez mais necessidade de espaço, é igualmente preferível consumir porções mais repartidas. A higiene alimentar pode ter um papel preponderante na prevenção da azia.

Grelhados, legumes verdes bem cozidos e fruta fresca, bem como os laticínios, devem estar presentes na alimentação da grávida. É muito importante beber líquidos durante a gravidez.

Recomenda-se que se beba cerca de um litro e meio a dois litros de líquidos por dia, e mais ainda nos dias quentes de verão. São de preferir as bebidas pobres em calorias, como as tisanas e os chás de frutos e mesmos os sumos de frutos bastante diluídos e, claro está, água.

A grávida deve evitar ao máximo as situações stressantes, que em certas pessoas podem contribuir para o desenvolvimento de distúrbios gástricos.

Passeios ao ar livre são compensadores e a atividade física contribui para regularizar a função intestinal. Convém não esquecer outros inimigos figadais da gravidez: roupa apertada, a propensão para fazer uma sesta depois das refeições, etc.

[CONTINUA NA PÁGINA SEGUINTE]

Páginas: 1 2

ÁREA RESERVADA

|

Destina-se aos profissionais de saúde

Informações de Saúde

Siga-nos

Copyright 2017 Médicos de Portugal por digital connection. Todos os direitos reservados.