Casca de laranja - Médicos de Portugal

A carregar...

Casca de laranja

2 Julho, 2009 0

A laranja não tem culpa, mas é com uma textura semelhante à sua casca que fica a pele quando a celulite se instala. São os excessos que se acumula com facilidade mas teimam em desaparecer. Mais uma vez com preferência pelas pernas femininas.

É quando o calor aperta que a celulite se torna mais visível. Ela está presente ao longo de todo o ano, a marcar as pernas com a mesma textura ondulada da casca de laranja, mas no Verão as pernas descobrem-se e a celulite também…

É então o inimigo a abater ou, pelo menos, a disfarçar. E disfarçar apenas porque a celulite é teimosa: instalase insidiosamente e não desaparece com facilidade. Vem para ficar, com uma apetência quase exclusiva pelas pernas e nádegas femininas. Mas sem qualquer preferência pela idade: porque tanto “ataca” as mais novas como as mais velhas, sendo comum notar-se em pernas tão jovens que até causa perplexidade.

Também não é esquisita no que toca ao corpo: tanto marca mulheres magras como gordas, desmentindo aquela ideia de que a celulite anda obrigatoriamente associada à obesidade. Não é assim: é frequente ver-se mulheres elegantes mas de contornos inesteticamente pontuados por uma aparência acolchoada.

São os estrogénios que justificam que a celulite predomine entre as mulheres, mais do que nos homens. Isto porque a celulite desenvolve-se sobretudo durante períodos de alterações hormonais, como a puberdade, o início da pílula contraceptiva, a gravidez ou a menopausa. Com o aparecimento dos caracteres sexuais, dá-se uma maior produção de estrogénios, aumentando a retenção de líquidos e toxinas entre os vasos sanguíneos e os tecidos gordurosos da pele, aí se concentrando a gordura.

E é mesmo de gordura que se fala. No nosso organismo há células cuja função é acumular energia, sob a forma de gordura – são os adipócitos, que se localizam na hipoderme, a camada mais profunda da pele. Nas mulheres, essa camada apresenta fibras ligando a superfície ao tecido mais profundo, como se fosse um colchão de molas.

Quando essas pontes fibrosas repuxam a pele, no sentido descendente, aparecem os tais “furinhos” ou “covinhas” que denunciam a celulite.

A celulite instala-se preferencialmente nas pernas, nas nádegas e no abdómen. São as zonas do corpo que é mais difícil mobilizar quando se trata de gastar as reservas de gordura acumuladas.

Em consequência, ela mantém-se, exercendo pressão sobre as tais pontes fibrosas da pele. É também sob aquelas partes do corpo feminino que é mais difícil actuar num regime de emagrecimento, o que explica que permaneçam volumosas (e acolchoadas) mesmo quando se perde algum peso.

 

De mãos dadas com o peso a mais

É verdade que a celulite não é um problema exclusivo das gordas, afectando também as mulheres mais magras, mas também é verdade que ela se agrava com o aumento do peso, uma vez que há maior concentração de gordura.

[Continua na página seguinte]

Importa, pois, manter os quilos a um nível simultaneamente saudável e estético. Mas nunca enveredando pela aventura das dietas radicais, daquelas que prometem curas de emagrecimento num ápice e “garantem” resultados definitivos. Em matéria de celulite, como aliás em matéria de emagrecimento, estas são promessas vãs. Não há milagres, apenas a receita de sempre: praticar uma alimentação equilibrada, reduzindo ou mesmo eliminando as maiores fontes de calorias.

Páginas: 1 2 3

ÁREA RESERVADA

|

Destina-se aos profissionais de saúde

Informações de Saúde

Siga-nos

Copyright 2017 Médicos de Portugal por digital connection. Todos os direitos reservados.