Bebé com cólicas: Um choro a consolar - Médicos de Portugal

A carregar...

Bebé com cólicas: Um choro a consolar

1 Abril, 2014 0

Todos os bebés choram, mas uns choram mais do que outros: são as cólicas, fonte de ansiedade para os pais. É um choro que alivia com mimo e paciência, mas por vezes é preciso algo mais. A boa notícia, é que passa com o tempo.

Choro sem causa aparente

É normal que um bebé chore pois é a sua forma de comunicar. Chora porque tem frio, calor ou fome, porque a fralda está molhada ou suja, porque está doente ou simplesmente desconfortável. Mas há bebés que choram sem razão aparente, todos os dias, várias horas por dia, sem descanso. Podem ser assim as cólicas.

O choro é incessante, o bebé está irritado, agita braços e pernas em sinal de desconforto na barriga. Assim acontece, normalmente, a partir da segunda semana de vida, com mais intensidade entre a quarta e a sexta e com tendência a desaparecer pelos três, quatro meses.

As cólicas não são a causa de todo o choro, usando-se uma regra simples – a de 3 por 4 – para as distinguir: pode estar-se perante cólicas se o bebé chora inconsolável nos primeiros 3 meses mais de 3 horas por dia, se o choro ocorre mais de 3 dias por semana e se prolonga por, pelo menos, 3 semanas.

 

Bebé saudável mas…

Não se conhecem exactamente as causas das cólicas, colocando-se várias possibilidades:

– Imaturidade do aparelho digestivo;

– Flatulência (gases) devido ao ar que o bebé engole enquanto mama (amamentação ou biberão) e durante o choro;

– Intolerância à lactose (açúcar que existe no leite e que, se não for digerido pode levar a fermentação no intestino);

– Alergia ao leite de vaca ou a outro componente da alimentação da mãe (e que passa para o bebé se estiver a ser amamentado);

– Interacção entre os pais e o bebé (o choro gera stresse na família, o qual, por sua vez, é sentido pelo bebé e faz com que chore mais).

[Continua na página seguinte]

O importante é saber que as cólicas surgem, geralmente, em bebés saudáveis: apesar do desconforto, mantêm um bom reflexo de sucção e apetite, ganham peso e crescem ao ritmo esperado, interagem com o meio ambiente e são receptivos a cuidados e mimos.

O mesmo não acontece com um bebé doente, pelo que é preciso identificar os sinais que devem motivar uma consulta médica como a perda de apetite, prostração, vómitos, diarreia ou febre.

 

Colo, paciência e por vezes algo mais…

As cólicas tendem a desaparecer pelo terceiro mês de vida.

Eis os gestos que as aliviam:

– Altere a posição de amamentação ou aleitamento do bebé, colocando-o mais na vertical – facilita a expulsão do ar engolido e diminui a flatulência;

– Em cada mamada, o bebé deve esvaziar primeiro uma mama antes de passar para a outra;

– Massaje a barriga, no sentido dos ponteiros do relógio, ou coloque o bebé de barriga para baixo – favorece a expulsão de ar, diminuindo o desconforto;

Páginas: 1 2

ÁREA RESERVADA

|

Destina-se aos profissionais de saúde

Informações de Saúde

Siga-nos

Copyright 2017 Médicos de Portugal por digital connection. Todos os direitos reservados.