Estado gasta 240 milhões de Euros com doenças respiratórias - Médicos de Portugal

A carregar...

Estado gasta 240 milhões de Euros com doenças respiratórias

7 Março, 2008 0

Asma, bronquite, tuberculose, apneia do sono, cancro do pulmão e tabagismo são alguns dos temas que estarão em debate no 15º Congresso de Pneumologia do Norte que decorre no Hotel Porto Palácio, na cidade do Porto, até dia 8 de Março.

Os custos associados ao tabagismo constituem um dos temas centrais uma vez que é a principal causa de algumas das doenças debatidas no congresso. Os custos directos atribuídos ao tabagismo nos doentes respiratórios são de 203 milhões de Euros e de 40 milhões nos doentes internados.

Dados recentes revelam que se nunca tivesse havido fumado, quase 90% dos casos de cancro de pulmão nos pulmões nos homens deixariam de existir. O custo do tabaco para a sociedade portuguesa tem vindo a revelar-se cada vez mais elevados, sendo o tabagismo responsável por 11,7% das mortes.

Em termos de terapêuticas e sua sustentabilidade, foram debatidos os custos associados a doenças como seja o cancro do pulmão. A contínua introdução de novas terapêuticas reflectem progresso científico e inovação que leva a que os custos dos fármacos para o tratamento do cancro ultrapasse os de outras patologias.

Um estudo realizado pelo ministério da saúde revela que medicamentos usados no tratamento de cancro, doenças auto-imunes e transplantes custaram, em 2005, mais de 14 milhões de euros por mês.

As novas terapêuticas, mais eficazes e menos agressivas para o doente são mais caras que as tradicionalmente utilizadas. No entanto, permitem um tempo maior de sobrevida ao doente e melhor qualidade de vida resultante da diminuição dos efeitos secundários originados pelos tratamentos. Estas e outras preocupações foram debatidas tendo em conta a relação custo / terapêutica.

FAÇA O DOWNLOAD DO PROGRAMA (Documento Assocido.pdf)

Multicom

www.multicom.co.pt

ÁREA RESERVADA

|

Destina-se aos profissionais de saúde

Informações de Saúde

Siga-nos

Copyright 2017 Médicos de Portugal por digital connection. Todos os direitos reservados.