Diagnóstico de doenças intestinais - Médicos de Portugal

A carregar...

Diagnóstico de doenças intestinais

20 Outubro, 2011 0

A incidência das doenças do foro intestinal tem vindo a aumentar, pelo que é imperativo realizarem-se check-ups regulares.

Quando não existem antecedentes familiares nem outros factores de risco, estes devem ter uma periodicidade de 5 a 10 anos a partir dos 50; quando existe história familiar, o exame deve anteceder em 10 anos a idade do aparecimento da doença no familiar.

Existem vários exames de diagnóstico, dirigidos para estas doenças, tais como o Clister Opaco, Colonoscopia, Cápsula Endoscópica e Colonografia TC. A opção de enveredar por qualquer um destes meios de diagnóstico assenta num conjunto de factores.

O médico prescritor do exame tem em atenção os sintomas e sinais que podem apontar para patologias mais ou menos graves, outras doenças associadas que podem ser impeditivas de realizar algum dos exames mencionados , vontade do doente, factores económicos, entre outros.

Apesar de todos estes exames serem indicados para o diagnóstico de patologias do foro intestinal, eles diferem entre si.

A principal diferença destes exames é que a colonoscopia é o único que permite realizar uma limpeza do intestino em caso deste não estar devidamente limpo, e efectuar intervenções no caso de se identificar uma lesão.

Para se poder realizar a intervenção, poupando tempo e recursos, o médico gastroenterologista tem que saber a priori que o doente não apresenta alterações da coagulação, e este tem que parar de tomar medicação que interfira neste processo alguns dias antes do procedimento.

A Colonografia TC é uma boa opção para doentes que se recusem a fazer uma colonoscopia ou que possuam patologias associadas e em algumas situações pós-cirurgicas.

Já a realização de Clister Opaco juntamente com a tecnologia digital veio melhorar a qualidade dos exames e é uma opção mais económica. As cápsulas endoscópicas, apesar de serem bastante confortáveis para o doente, podem deixar passar algumas lesões.

Dr. Costa Curto
Gastrenterologista

Quando não existem antecedentes familiares nem outros factores de risco, estes devem ter uma periodicidade de 5 a 10 anos a partir dos 50; quando existe história familiar, o exame deve anteceder em 10 anos a idade do aparecimento da doença no familiar.

Existem vários exames de diagnóstico, dirigidos para estas doenças, tais como o Clister Opaco, Colonoscopia, Cápsula Endoscópica e Colonografia TC. A opção de enveredar por qualquer um destes meios de diagnóstico assenta num conjunto de factores.

O médico prescritor do exame tem em atenção os sintomas e sinais que podem apontar para patologias mais ou menos graves, outras doenças associadas que podem ser impeditivas de realizar algum dos exames mencionados , vontade do doente, factores económicos, entre outros.

Apesar de todos estes exames serem indicados para o diagnóstico de patologias do foro intestinal, eles diferem entre si.

A principal diferença destes exames é que a colonoscopia é o único que permite realizar uma limpeza do intestino em caso deste não estar devidamente limpo, e efectuar intervenções no caso de se identificar uma lesão.

Para se poder realizar a intervenção, poupando tempo e recursos, o médico gastroenterologista tem que saber a priori que o doente não apresenta alterações da coagulação, e este tem que parar de tomar medicação que interfira neste processo alguns dias antes do procedimento.

Páginas: 1 2

ÁREA RESERVADA

|

Destina-se aos profissionais de saúde

Informações de Saúde

Siga-nos

Copyright 2017 Médicos de Portugal por digital connection. Todos os direitos reservados.