Sintomas dos olhos: De olho nos olhos - Médicos de Portugal

A carregar...

Sintomas dos olhos: De olho nos olhos

12 Janeiro, 2012 0

Os olhos são frágeis e muitos são os factores que os agridem: mas a maioria dos problemas ultrapassa-se com medidas simples e com o aconselhamento da farmácia.

Um órgão sensível

O olho é um órgão sensível, vulnerável a lesões, agressões ambientais e agentes infecciosos. É também um órgão complexo: as suas estruturas internas são responsáveis pela visão, enquanto as externas possuem uma função protectora. Juntas, pálpebras, pestanas e lágrimas erguem uma barreira contra agressões, poeiras, fumos, vírus e bactérias.

Porque é a visão que está em causa, é essencial proteger os olhos das diversas agressões – mantendo uma higiene adequada, prevenindo o trauma e evitando situações que os possam lesionar, como o excesso de radiação solar. Daí que o uso de óculos de sol com protecção ultravioleta seja fundamental, mesmo no Inverno, tanto para adultos como para crianças.

 

Barreira quebrada

Das diversas ameaças à saúde dos olhos podem resultar sintomas que, apesar de ligeiros e considerados menores, requerem cuidados. Os mais comuns são:

“Olho vermelho” – é assim conhecida a conjuntivite, inflamação da conjuntiva, membrana que cobre a parte branca do olho; pode ser infecciosa (causada por uma bactéria ou um vírus), alérgica ou tóxica (causada por uma substância irritante). Vermelhidão, dor, inchaço, lacrimejar, comichão e sensação de areia no olho, a par da produção de muco, são os principais sintomas.
O olho vermelho pode ainda resultar de uma ruptura dos pequenos vasos sanguíneos, mas em geral não é grave.

“Olho seco” – deve-se a uma diminuição na produção de lágrimas ou a um desequilíbrio nas substâncias que compõem a camada lubrificante do olho, causando sintomas como sensação de areia no olho, comichão ou ardor, vermelhidão, fadiga ocular, sensibilidade à luz e por vezes visão nublada.

“Olho que chora” – com lágrimas a escorrem pela face, mesmo sem choro, o que pode dever-se a uma produção aumentada de lágrimas ou a insuficiente drenagem, resultado de obstrução total ou parcial do canal naso-lacrimal.

Blefarite – trata-se de uma inflamação das pálpebras, queficam vermelhas, inchadas, com comichão, ardor e por
vezes descamação.

Treçolho – infecção bacteriana em que a pálpebra fica inchada e desenvolve um nódulo mole e avermelhado que causa dor e inchaço. Pode aparecer tanto na pálpebra superior como na inferior, geralmente junto ao bordo.

[Continua na página seguinte]

Gestos que aliviam

Estes são sintomas ligeiros mas incómodos, que importa tratar e aliviar através da aplicação de compressas (de água morna ou fria), soro fisiológico, colírios ou pomadas oftálmicas. Aconselhe-se nesta farmácia.

Porque se aplicam directamente no olho, e porque este é um órgão sensível, são produtos que requerem cuidados particulares na sua utilização. Assim:

– Lave sempre as mãos antes e depois de cada aplicação; – Sejam gotas ou pomada, aplique de forma a que nem a ponta do conta-gotas nem o aplicador toquem no olho;

– Depois de aplicado, mantenha o olho fechado durante algum tempo, para facilitar a absorção;

– Nem o medicamento nem o aplicador devem ser partilhados com outras pessoas;

Páginas: 1 2

ÁREA RESERVADA

|

Destina-se aos profissionais de saúde

Informações de Saúde

Siga-nos

Copyright 2017 Médicos de Portugal por digital connection. Todos os direitos reservados.