Quando a mente precisa de ajuda - Página 2 de 2 - Médicos de Portugal

A carregar...

Quando a mente precisa de ajuda

6 Abril, 2013 0

Como tratar?

O tratamento depende do tipo de doença mental. “Mas generalizando, podemos afirmar, sem deturpar o sentido mais específico e ao mesmo tempo complexo do que consiste o tratamento das doenças mentais, que as mais compreensíveis e com uma causalidade predominante ambiental (psicológica ou sociológica) – reactiva – podem ser ajudadas com apoio psicoterapêutico em primeira linha (no sentido de os ajudar a lidar com os estímulos adversos) e uma intervenção farmacológica numa segunda linha (psicofármacos)”, adianta o psiquiatra. No que respeita às doenças mentais menos compreensíveis “de predomínio endógeno ou genético, e por vezes não aceites pelo próprio doente por falta de juízo crítico, a intervenção terapêutica deve ser essencialmente farmacológica e só em segunda linha psicológica”, conclui Medeiros Paiva.

Quando procurar ajuda
Por Dr. Medeiros Paiva

– Não há sinais particulares que justifiquem a procura de ajuda de um médico especializado, isto é de um psiquiatra.

– O mais habitual acontece quando a patologia se manifesta por comportamentos e alterações das funções psicológicas de tal modo estranhas ou qualitativamente alteradas relativamente ao normal que se torna evidente a necessidade de ajuda de um especialista. São assim as doenças em que os sintomas (a nível do pensamento, do raciocínio e do juízo crítico) se mostram profundamente alterados de forma qualitativa – sintomas heterólogos.

– Já se mostra mais difícil avaliar da necessidade de ser observado e seguido por um médico especialista quando os sintomas apenas se distinguem do normal na sua intensidade (ansiedade, tristeza, medo, etc.) – sintomas homólogos.

Jornal do Centro de Saúde

www.jornaldocentrodesaude.pt

Páginas: 1 2

ÁREA RESERVADA

|

Destina-se aos profissionais de saúde

Informações de Saúde

Siga-nos

Copyright 2017 Médicos de Portugal por digital connection. Todos os direitos reservados.