Produção nacional dá voz a testemunhos reais: Roche estreia série portuguesa sobre cancro na RTP - Médicos de Portugal

A carregar...

Produção nacional dá voz a testemunhos reais: Roche estreia série portuguesa sobre cancro na RTP

8 Abril, 2008 0

Para assinalar o Dia Mundial da Luta Contra o Cancro, a Roche, em parceria com a RTP, estreia a primeira série de três curtas-metragens sobre esta doença, no horário nobre da televisão, no dia 8 de Abril.

Intitulada “Projecto 180º – Porque o cancro pode ter cura” esta série tem como objectivos mostrar que é possível ultrapassar o cancro, transmitir esperança e energia positiva e ao mesmo tempo encorajar as pessoas a lutar diariamente contra esta doença.

António Pedro Vasconcelos assina a primeira curta-metragem da série, com estreia marcada para as 22 horas, no canal 1 da RTP, no dia 8 de Abril. Retrata a vida de Maria Sá da Bandeira e Inês Leitão, uma mãe que sobreviveu a uma leucemia aguda e a sua filha, de 20 anos, que venceu um linfoma de hodgkin.

Sobre este novo desafio, o realizador do êxito de bilheteira Call Girl, revela que “o que mais me tocou nesta iniciativa foi a possibilidade de revelar pessoas que, por tenacidade, estoicismo ou simplesmente por terem um pensamento positivo, recusaram resignar-se à fatalidade da doença e decidiram bater-se pela vida.”

Maria Sá da Bandeira e a sua filha são um exemplo de como o apoio familiar é fundamental. “Aceitámos este desafio porque é importante passar a mensagem no sentido positivo, para que todas as pessoas que se encontrem ou que se venham a encontrar na mesma situação possam acreditar que há solução.”

A segunda curta-metragem desta série será exibida no dia 15 de Abril, às 22 horas, no canal 1 da RTP, e é realizada por Rita Nunes, que foi recentemente premiada com o Prix Europa, no festival de Berlim, pelo telefime Só Por Acaso. Esta curta é protagonizada por Luís Magalhães, de 36 anos, a quem foi diagnosticado um cancro do pulmão.

“Em Março do ano passado fui confrontado com uma dura realidade: foi-me diagnosticado cancro do pulmão. Não queria acreditar que isso fosse possível. Uma pessoa jovem, saudável, fisicamente activa e não fumadora”, conta Luís Magalhães, para quem o desporto automóvel foi uma força para superar a doença.

Já a realizadora Rita Nunes comenta que “o que me interessou foi a premissa deste projecto: desmistificar o cancro, ou melhor, a palavra cancro. Desde sempre que esta palavra tem uma conotação de tal modo negativa que as pessoas em geral têm um enorme pudor em sequer enunciá-la. Tem que se transmitir a mensagem de que o cancro não é sinónimo de morte e cada vez mais existem tratamentos que permitem que seja possível superar esta doença e encará-la, como diz o Luís, como um percalço.”

A fechar esta série de curtas-metragens está a história verídica de Raquel Carvalho, de 29 anos, que venceu um linfoma não hodgkin. Esta história é realizada pelo reputado Daniel Blaufuks e estreia no dia 22 de Abril, às 22 horas, no canal 1 da RTP.

O realizador confessa que “aceitei este convite para integrar este projecto, não só como desafio artístico, mas também como uma oportunidade única de influenciar a relação que temos com uma doença que assusta a todos.

Acredito na possibilidade de que estes filmes possam alterar a forma como encaramos o cancro e os próprios doentes.” Daniel Blaufuks diz ainda que “espero que estes filmes sejam veículos para um melhor entendimento em cada um dos espectadores da importância dos rastreios e da prevenção. Deste modo ajudarão também a alterar nos jovens a ideia errada de que o cancro só afecta pessoas mais idosas.”

Páginas: 1 2 3

ÁREA RESERVADA

|

Destina-se aos profissionais de saúde

Informações de Saúde

Siga-nos

Copyright 2017 Médicos de Portugal por digital connection. Todos os direitos reservados.