Olho Seco - Médicos de Portugal

A carregar...

O que é o “olho seco”? O “olho seco” é uma situação em que não existe produção de lágrimas em quantidade suficiente. Diz-se também que existe “olho seco” quando, apesar de haver lágrimas em quantidade, estas não têm a qualidade necessária para manter os olhos saudáveis.

O que é importante saber sobre as lágrimas?

As lágrimas não são apenas “água salgada”!…contêm vitaminas, minerais , muco e gorduras, e é a presença de todas estas substâncias que permite obter lágrimas com qualidade para hidratar, alimentar e lubrificar os nossos olhos.

As lágrimas são produzidas pelas glândulas lacrimais, situadas junto à pálpebra superior de cada olho. Quando pestanejamos as lágrimas espalham-se e tornam a superfície dos olhos brilhantes e transparentes formam um filme lacrimal.

Embora não seja possível distinguir a olho nu, o filme lacrimal tem 3 camadas distintas:

– Uma camada oleosa muito fina, que está em contacto com o ar, e cuja a principal função é evitar que as lágrimas se evaporem.

– Uma camada aquosa, intermédia, que assegura a nutrição dos olhos (tem vitaminas e minerais) e protege os olhos de corpos estranhos potencialmente perigosos.

– Uma camada de mucina, que está em contacto directo com a superfície ocular, e que é responsável pela adesão das lágrimas aos olhos para formar uma película protectora transparente.

 

Quais são os sintomas de “olho seco”?

Os sintomas mais frequentes de “olho seco” são:

– Sensação de areia nos olhos

– Irritação dos olhos em ambientes com fumo ou ar condicionado

– Ardor

– Comichão

– Dificuldades em suportar a luz (fotofobia)

– Olhos vermelhos e dolorosos

Por vezes, os “olho seco” ficam muito lacrimejantes. Esta afirmação parece um contra-senso, no entanto é isto mesmo que se passa!

Quando as lágrimas não têm qualidade suficiente para realizar a sua função de forma completa, os olhos entram em sofrimento. Como consequência, há um aumento da produção de lágrimas, na tentativa de compensar a falta de qualidade destas. A certa altura, as lágrimas em excesso deixam de ser absorvidas e acabam por escorrer pela face – os olhos começam a “chorar”.

[Continua na página seguinte]

Nos casos mais graves de “olho seco” podem aparecer situações de queratite e pequenas úlceras corneanas.

 

Como é diagnosticado o “olho seco”?

O diagnóstico de “olho seco” é feito pelo oftalmologista, por intermédio de testes que medem a produção de lágrimas e que avaliam a sua qualidade.

Um destes testes é o teste de Schirmer, que mede a quantidade de lágrimas utilizando uma tira de um papel especial colocada junto ao bordo da pálpebra inferior.

Para além destes testes, o oftalmologista observa os olhos em aparelhos especiais, que permitem chegar a um diagnóstico definitivo.

 

Qual o tratamento para o “olho seco”?

O “olho seco” pode ser controlado com sucesso, desde que sejam seguidas as indicações do oftalmologista, não só em relação aos medicamentos a tomar, mas também aos cuidados a ter para evitar que a situação se agrave.

Páginas: 1 2

ÁREA RESERVADA

|

Destina-se aos profissionais de saúde

Informações de Saúde

Siga-nos

Copyright 2017 Médicos de Portugal por digital connection. Todos os direitos reservados.