Higiene Oral - Médicos de Portugal

A carregar...

Higiene Oral

2 Abril, 2009 0

A higiene oral é uma prática muito antiga e faz parte da construção e do reforço positivo da auto-imagem. As principais doenças e alterações orais provocadas por uma deficiente higiene oral são: a Cárie Dentária, a Gengivite, a Periodontite e a Halitose.

A Placa Bacteriana, responsável pelo aparecimento das doenças referidas anteriormente, é constituída por micróbios (bacté-rias) e componentes da saliva que aderem fortemente aos dentes, condição que lhe permite resistir às forças de auto–limpeza fisiológica, relacionadas com os movimentos da lín-gua e das bochechas.

A Cárie Dentária, é uma doença localizada e com origem nas bactérias. Estas bactérias, a partir dos açúcares dos alimentos, produzem ácidos que provocam uma perda dos minerais do dente, formando-se com o tempo uma cavidade no mesmo.

Gengivas avermelhadas, inchadas e a sangrar facilmente, são sinais de Gengivite.

A Periodontite é a inflamação e destruição dos tecidos que suportam os dentes na boca, ou seja, há uma perda do osso e alteração das gengivas, ficando os dentes com mobilidade e “descarnados”.

Estas doenças podem provocar uma entrada das bactérias para o sangue, ameaçando todo o organismo (afecções nos olhos, coração, ossos, tubo digestivo, rins, pulmões, gânglios, articulações).

Halitose, ou mau hálito, deriva do latim “halitus”, que significa hálito e do sufixo grego “osis”, que significa condição. A hali-tose pode tornar-se um problema preocupante por dificultar as relações interpessoais ou diminuir a auto-estima.

O primeiro passo para eliminar ou minorar a Halitose, passa por ter uma boa higiene oral, limpar a língua com a escova ou limpadores próprios e antes de dormir bochechar com elixires.

Os portadores de prótese dentária, devem lavá-la sempre e após as refeições e mergulhá-la uma vez por semana em so-luções desinfectantes.

Deve-se beber muita água durante o dia, principalmente, se se sentir a boca seca e sobretudo nesse caso, devem-se esti-mular as glândulas salivares com pastilhas elásticas e rebuçados sem açúcar, isto porque a saliva tem uma função de limpeza e protecção da boca.

É importante fazer uma alimentação rica em alimentos fibro-sos, evitando os muito condimentados e com forte odor (ce-bola e alho) e estar muito tempo sem comer, pois a alimen-tação é a melhor forma de estimular as glândulas salivares.

O tabaco e o álcool são agentes a evitar, pois além de secarem a boca, são grandes promotores de halitose.

Se tem uma boa higiene oral e a halitose persiste, deve consultar o seu Médico Dentista e/ou Higienista Oral, pois só eles lhe poderão dizer se tem outros factores causadores de halitose, tais como, Cárie Dentária, Gengivite, Periodontite, baixo fluxo salivar, excesso de placa bacteriana e tártaro.

Como prevenir as doenças orais:

(1) Escovar os dentes depois das refeições principais e antes de dormir, com uma escova de dureza média ou macia e com um dentífrico com flúor, mantendo-o na boca pelo menos durante dois minutos;

(2) Passar o fio dentário uma vez por dia;

(3) Usar elixires, pois têm um importante papel na prevenção da cárie dentária e sensibilidade dentária; (4) Fazer uma alimentação saudável (evitando doces entre as refeições e consumindo alimentos com fibras); e (5) Consultar o Médico Dentista e/ou Higienista Oral, duas vezes por ano.

Páginas: 1 2

ÁREA RESERVADA

|

Destina-se aos profissionais de saúde

Informações de Saúde

Siga-nos

Copyright 2017 Médicos de Portugal por digital connection. Todos os direitos reservados.