Dossier: Doenças da Mente, Perturbações Psiquiátricas - Médicos de Portugal

A carregar...

Dossier: Doenças da Mente, Perturbações Psiquiátricas

7 Janeiro, 2009 0

“É normal no ser humano ser um pouco neurótico, sendo apenas o excesso chamado de patológico”, Sigmund Freud

As Doenças Psiquiátricas
Há uma grande diversidade de perturbações mentais e de alterações de comportamento. Segundo a Classificação Internacional de Doenças as doenças psiquiátricas correspondem a 99 agrupamentos distintos. Nesta classificação encontramos: demências e perturbações por lesão cerebral; deficiências mentais e outros distúrbios de desenvolvimento; perturbações associadas ao abuso e dependência de substâncias nocivas; esquizofrenia e outras psicoses delirantes; perturbações do humor (doença bipolar e depressões); perturbações de ansiedade; distúrbios de ajustamento a factores exteriores; transtornos de personalidade e outras alterações de conduta.

A especificidade da psiquiatria e das doenças não deve conduzir a uma separação absoluta em relação a outras áreas da medicina com as quais confina, nomeadamente, neurologia, endocrinologia e medicina em geral.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) cerca de 30% da população mundial sofre de alguma doença mental. Desse total, 154 milhões de indivíduos sofrem de depressão e 25 milhões de esquizofrenia. Sensivelmente, 40 mil mortes são atribuídas às patologias psiquiátricas, como depressão bipolar, esquizofrenia e stress pós-traumático.

Em Portugal não existem dados epidemiológicos fiáveis sobre a prevalência das doenças mentais. No entanto, é possível fazer estimativas com base em estudos realizados noutros países. De acordo com a Sociedade Portuguesa de Psiquiatria e Saúde Mental, 5% da população nacional já teve um episódio de depressão grave. Na perspectiva do Dr. José Manuel Jara, psiquiatra e director de Serviço de Psiquiatria do Hospital Júlio de Matos, a doença bipolar é a perturbação com maior incidência, em Portugal, afectando cerca de 200 mil pessoas, seguida pela esquizofrenia com 100 mil indivíduos. O Centro Hospitalar Psiquiátrico de Lisboa que integra o Miguel Bombarda e o Júlio de Matos serve, actualmente, um milhão e 300 mil habitantes (consulta e internamento) e tem ainda doentes residentes no serviço de alcoologia e serviço de psiquiatria forense.

 

Principais Causas

Como não há uma única entidade patológica, não existe uma só causa. Hoje em dia, sabe-se que há alterações biológicas no cérebro das pessoas, mas que também existem factores genéticos que podem contribuir para a manifestação de perturbações mentais, bem como determinantes psicológicos, tóxicos, físicos e sociais. Por exemplo, uma pessoa pode desenvolver uma demência por exposição a químicos industriais, pode ter alterações dramáticas de comportamento após um acidente que tenha provocado traumatismo craniano, como sofrer de depressão profunda depois da perda de uma pessoa importante.

Sintomas mais Frequentes

Os sintomas variam em função do tipo de patologia, no entanto, há indícios que são comuns a todas doenças:
– Marcada alteração da personalidade;
– Perda de capacidade em lidar com problemas e actividades do dia-a-dia;
– Experiências fora do comum, correspondentes ao que o senso comum identifica como “loucura”;
– Ansiedade excessiva;
– Estados profundos de tristeza ou apatia;
– Alteração evidente nos hábitos (alimentação, fadiga, sono, desejo sexual);
– Oscilações acentuadas de humor;
– Demasiada irritabilidade e hostilidade;
– Consumo abusivo (e dependência) de álcool, tabaco ou tóxicos.

Páginas: 1 2 3

ÁREA RESERVADA

|

Destina-se aos profissionais de saúde

Informações de Saúde

Siga-nos

Copyright 2017 Médicos de Portugal por digital connection. Todos os direitos reservados.