Cumpra o tratamento e sorria à vida - Médicos de Portugal

A carregar...

Cumpra o tratamento e sorria à vida

24 Setembro, 2011 0

Se o diagnóstico de cancro da mama não é fácil de aceitar, na maioria das vezes, o tratamento é custoso e implica sofrimento, embora seja fundamental para a cura tão desejada. Se a doente estiver bem informada, saberá que a adesão à terapêutica é o passo para vencer a doença com sucesso!

O tratamento do cancro da mama passa na maioria das situações por uma terapêutica multidisciplinar em que as doentes são sucessivamente submetidas a cirurgia, quimioterapia, hormonoterapia e/ou radioterapia, em ordem variável, no sentido de optimizar as probabilidades de cura da doença. “É muito frequente que a mulher se confronte com situações de relutância em começar ou prosseguir o tratamento da doença derivadas do medo da doença e sua negação, do medo da desfiguração que o mesmo acarretará para o seu corpo e dos efeitos secundários dos tratamentos”, salienta o Dr. Nuno Abecasis, Vogal da Direcção e coordenador da área médica da Associação Portuguesa de Apoio à Mulher com Cancro da Mama (APAMCM).

Apesar das claras dificuldades com que a equipa multidisciplinar se pode defrontar no que respeita à resistência de adesão à terapêutica, é fundamental “esclarecê-las logo após o diagnóstico da natureza da doença, o seu prognóstico no estadio em que a mesma foi identificada e qual a sequência de tratamentos que vai ser necessário fazer para garantir o melhor resultado terapêutico possível, idealmente a cura da doença”, avança Nuno Abecasis.

A cura é possível… Não ignore o tratamento!

A principal razão para a não aderência da mulher ao tratamento do carcinoma da mama “é o medo de enfrentar o diagnóstico que, por vezes, leva a que arraste sinais e sintomas evidentes durante muito tempo antes de recorrer ao médico. Uma vez iniciado o tratamento, a falta de esclarecimento acerca dos vários passos que este acarreta associa-se facilmente à não adesão terapêutica. Por outro lado, é preciso não descurar o apoio emocional e social que a mulher e a sua família podem necessitar para cumprir o esquema delineado”, acrescenta o coordenador da área médica da APAMCM.

É necessário desmistificar a doença e transmitir que a maioria das mulheres a quem hoje em dia é feito o diagnóstico da doença fica curada desde que cumpra todos os passos do tratamento. “Para além disso, hoje em dia, o tratamento cirúrgico do carcinoma da mama tem como preocupação, para além da remoção da doença, conseguir o melhor resultado estético possível”, adianta o coordenador da área médica da APAMCM.

O resultado final do tratamento do carcinoma da mama depende do encadeamento dos diversos tratamentos feitos na ordem e intensidade adaptados às características da doença e da doente individual. “Qualquer desvio deste tratamento optimizado pode resultar na incapacidade de obter o resultado desejado, nomeadamente a cura da doença. Estando a falar duma doença maligna, a diferença pode ser entre a vida e a morte”, acrescenta.

A cura do cancro da mama é um objectivo alcançável na maioria das mulheres a quem é feito o diagnóstico da doença. “Para tal, é indispensável que todos os passos do tratamento decorram na altura e pela ordem certa. É do interesse da doente colaborar no tratamento, empenhando-se em que o mesmo decorra como previsto, apesar de todos os sacrifícios que possa acarretar, já que a última beneficiária do seu sucesso é a própria doente”, conclui Nuno Abecasis.

Páginas: 1 2 3

ÁREA RESERVADA

|

Destina-se aos profissionais de saúde

Informações de Saúde

Siga-nos

Copyright 2017 Médicos de Portugal por digital connection. Todos os direitos reservados.