Candidíase Vaginal: Porquê eu? - Página 3 de 4 - Médicos de Portugal

A carregar...

Candidíase Vaginal: Porquê eu?

28 Outubro, 2014 0

Quatro a seis semanas depois de iniciar o tratamento, terá melhoras visíveis, o que acontece em cerca de 75 por cento ou mais dos casos. Muitas vezes nem será necessário tanto tempo até o tratamento surtir efeito. Os outros 25 por cento dos casos poderão necessitar de um tratamento mais prolongado.

O tratamento para combater a candidíase é feito à base de antimicóticos mas deve-se tentar tratar as causas da candidíase para evitar as recidivas. Há quem recomende que uma dieta especial, preparada em conjunto com o médico ou nutricionista, ajuda a recuperar a saúde e a reconstruir o sistema imunológico.

O tratamento é geralmente sistémico, de curta duração ou dose única, e também é feito com cremes locais à base de antifúngicos, em geral de 3 a 7 dias. Em casos mais resistentes, o tratamento poderá ser mais prolongado e, se houver suspeita de que o parceiro também tenha a doença, este poderá igualmente ser tratado (embora em situações ocasionais não seja recomendado).

 

Vida quotidiana

Muitos factores da vida quotidiana podem aumentar as probabilidades de contrair uma infecção vaginal. As leveduras crescem num ambiente quente e húmido, daí que roupas apertadas e mal ventiladas, fibras sintéticas, collants e roupas íntimas sem protecção de algodão entre as pernas possam aumentar o risco de infecção. Tenha particular atenção às roupas de ginástica suadas e fatos de banho molhados.

No dia-a-dia, o uso de papel higiénico de trás para a frente, ao invés de da frente para trás, após defecar, pode contaminar a vagina com Candida do trato intestinal e pode aumentar o risco de infecção. Papéis higiénicos e absorventes higiénicos perfumados ou tratados quimicamente, desodorizantes femininos, perfumes, espermicidas, sabões irritantes e detergentes podem irritar a vagina e causar uma infecção ou tornar pior uma existente.

Evite os duches vaginais pois podem romper o equilíbrio delicado dos organismos naturais (tais como leveduras e bactérias) na vagina. Se já tem uma infecção, os duches só podem piorá-la e tornar a identificação do problema mais difícil para o seu médico.

[Continua na página seguinte]

Diagnóstico correcto

São muitos os factores que podem aumentar as probabilidades de contrair uma infecção vaginal. Eles incluem certos antibióticos, contraceptivos orais, diabetes mellitus, gravidez e hábitos pessoais.

Antibióticos

Alguns antibióticos eliminam as bactérias úteis chamadas lactobacilos, que normalmente estão dentro da vagina e ajudam a controlar o crescimento descontrolado de leveduras. Quando necessitar de tomar um antibiótico, pergunte ao seu médico se este pode aumentar as probabilidades de contrair uma infecção.

Contraceptivos

As hormonas, nomeadamente os estrogénios presentes nos contraceptivos orais (nos de dose alta de estrogénios) podem ajudar a criar condições na vagina que se assemelham à gravidez. Nesse ambiente, a multiplicação de leveduras é mais provável e tem sido reconhecido como um factor de risco para infecções.

Diabetes

A grande quantidade de açúcar no sangue, nos tecidos (que inclui o muco vaginal) e na urina da mulher diabética fornecem às leveduras um meio de cultura, resultando possivelmente numa infecção. Por essa razão, mulheres com diabetes mellitus, especialmente diabetes não controlada, contraem frequentemente infecções vaginais.

Páginas: 1 2 3 4

ÁREA RESERVADA

|

Destina-se aos profissionais de saúde

Informações de Saúde

Siga-nos

Copyright 2017 Médicos de Portugal por digital connection. Todos os direitos reservados.