Candidíase Vaginal: Porquê eu? - Página 2 de 4 - Médicos de Portugal

A carregar...

Candidíase Vaginal: Porquê eu?

28 Outubro, 2014 0

Entretanto, qualquer coisa que aumente o pH vaginal ou afecte o seu equilíbrio normal cria um ambiente mais propício para a proliferação excessiva de leveduras, provocando a infecção.

 

Infecções recorrentes

O sintoma mais frequente na presença de uma infecção vaginal é uma comichão que pode variar de leve a intensa. Em regra, esta comichão pode piorar à noite e é frequentemente aumentada pelo calor. A comichão pode ser acompanhada por sensação dolorosa e de ardor ao urinar ou durante o acto sexual.

Um corrimento anormal da vagina é outro dos sintomas mais comuns. A secreção é, normalmente, diferente em textura e consistência daquela a que está acostumada. Às vezes, a aparência e a textura é um pouco mais densa/ consistente, parecida com nata de leite (tipo coalho), enquanto outras vezes pode assemelhar-se a um líquido aguado branco ou cinzento.

A secreção vaginal causada por infecção por levedura geralmente é inodora. Uma vez infectada, muitas mulheres terão outras infecções devidas a Candida albicans durante um período de doze meses. São infecções conhecidas como “recorrentes” – quatro ou mais – e podem ser causadas por um de muitos factores.

Mesmo depois de curada, é possível a infecção reactivar-se. Os tratamentos não evitam infecções futuras. Eles só tratam a infecção actual, pelo que o tratamento deverá ser repetido em caso de recaídas.

No entanto, podemos tentar evitar alguns factores, tais como suspender o uso de duches vaginais, sprays de higiene íntima, certos antibióticos ou contraceptivos orais de alta dose de estrogénios e usar roupas mais soltas e ventiladas, o que pode ajudar a prevenir infecções recorrentes.

Deve ter em atenção que algumas infecções recorrentes podem ser um sinal de uma condição subjacente mais séria, tal como diabetes, que enfraquece o sistema imunológico e pode aumentar a susceptibilidade do organismo a estas infecções.

Por essa razão, se sofrer de infecções recorrentes, não facilite e não se auto-medique, pois o seu médico poderá querer examiná-la. Nesse esse exame, o médico poderá incluir a recolha de uma amostra de corrimento para despistar um tipo diferente de infecção vaginal e para descartar outras doenças. É muito importante que informe o seu médico se tiver mais de uma infecção num período curto de tempo ou se os sintomas persistirem.

[Continua na página seguinte]

Prevenção e diagnóstico

Alguns remédios caseiros ou preparações vendidas no balcão, que não são antifúngicos, podem aliviar os sintomas temporariamente, mas, na realidade, eles não curam a infecção. Estudos recentes referem, embora haja alguma controvérsia, que comer iogurte natural com lactobacilos, não processado e sem adoçantes, pode ajudar as bactérias normais a manter equilibrado o pH vaginal.

Será aconselhável que espere até que a sua infecção esteja curada antes de reiniciar a sua actividade sexual. O mais certo é que o acto sexual possa irritar o tecido vaginal já inflamado e dorido. De igual forma, não deve usar absorventes internos se estiver a fazer tratamento com um creme ou supositório vaginal, pois o tampão pode absorver o medicamento.

Páginas: 1 2 3 4

ÁREA RESERVADA

|

Destina-se aos profissionais de saúde

Informações de Saúde

Siga-nos

Copyright 2017 Médicos de Portugal por digital connection. Todos os direitos reservados.