Pés: Com eles não se brinca… - Médicos de Portugal

A carregar...

Pés: Com eles não se brinca…

8 Julho, 2014 0

Os pés suportam o nosso peso e sofrem diariamente. Calor, humidade, calçado apertado, unhas mal tratadas são riscos a evitar.

Se pararmos para pensar, rapidamente percebemos como os nossos pés são fundamentais. Mas complexos… Fundamentais porque suportam o peso do corpo – diariamente a pressão exercida sobre os pés equivale a várias toneladas – e executam a locomoção. Complexos porque têm uma diversidade de elementos, cada pé tem 26 ossos, 33 articulações e mais de 100 músculos, além de vasos sanguíneos.

Pela sua função, os pés são especialmente vulneráveis a feridas. E muitas doenças, como a diabetes ou a artrite, têm reflexo na saúde dos pés.

Os pés estão sujeitos a vários riscos, que se materializam em calos, micoses, joanetes, unhas encravadas, verrugas e, já sabe, até o mau odor… A excessiva transpiração dos pés deve-se à presença de mais de 250 mil glândulas sudoríparas.

Os calos – tão comuns – são provocados pela fricção prolongada e correspondem a camadas compactas de células mortas que se acumulam para proteger os dedos ou a planta do pé. A fricção também provoca bolhas, sendo o maior erro rebentá-las, porque se abre espaço à infecção. O melhor é deixar as bolhas rebentarem por si próprias, aplicar um anti-séptico e proteger a pele com uma ligadura ou adesivo.

Grande parte dos problemas associados aos pés resulta de calçado pouco adequado e confortável. No caso dos joanetes, as articulações dos dedos ficam desalinhadas, sobretudo a primeira, que tende a inclinar-se para os restantes dedos.

A escolha do calçado tem um grande impacto na saúde dos pés. Por exemplo, o calçado sem ventilação pode predispor para a ocorrência de uma micose – o chamado pé-de-atleta, por ser muito comum em desportistas – onde os fungos se instalam entre os dedos, fazendo com que a pele descame e surjam fissuras.

[Continua na página seguinte]

As unhas também são muito vulneráveis ao ataque dos fungos. As onicomicoses provocam a descoloração e deformação da unha e exigem tratamento prolongado, sendo necessário aguardar a substituição total da unha para assegurar que a infecção passou. Outro erro comum é cortar as unhas de forma muito rente ou cortando os cantos pois estes, ao crescer, podem penetrar na pele, causando dor e até infecção.

 

Não fuja a sete pés…

1. L ave os pés diariamente e seque rigorosamente, sobretudo no espaço entre os dedos não deixando vestígios da humidade que tanto agrada a fungos e bactérias.

2. U tilize um creme hidratante, que ajuda a suavizar a pele.

3. Realize uma esfoliação regular, que elimina as células mortas e eventuais microorganismos.

4. Mude diariamente de meias, que devem ser de algodão, propício à respiração dos pés.

5. Evite calçar sempre os mesmos sapatos.

6. Evite calçado demasiado apertado, saltos demasiado altos ou inapropriados para a estrutura do pé.

7. Verifique periodicamente o tamanho de calçado adequado para as crianças, porque os pés estão em crescimento; também para os adultos, o tamanho certo é fundamental – mesmo nos adultos, os pés podem mudar de tamanho e formato com o tempo.

Páginas: 1 2 3

ÁREA RESERVADA

|

Destina-se aos profissionais de saúde

Informações de Saúde

Siga-nos

Copyright 2017 Médicos de Portugal por digital connection. Todos os direitos reservados.