Intimidades: Contactos de risco - Página 2 de 3 - Médicos de Portugal

A carregar...

Intimidades: Contactos de risco

13 Agosto, 2014 0

Os sintomas, que são de recuperação lenta, incluem fadiga grave, perda de apetite, náuseas e vómitos, dor ou desconforto abdominal, febre, urina escura, icterícia, dor nas articulações.

A infecção pelo vírus da hepatite B pode tornar-se crónica, sendo uma das causas de cancro de fígado. Pode ser transmitida de mãe para filho durante o parto vaginal. A vacinação é a melhor arma.

 

Herpes genital

Com um elevado grau de infecciosidade, é causada pelo vírus herpes simplex que penetra no organismo através de pequenas lesões na pele ou nas mucosas. O vírus fica como que adormecido, de tal forma que muitas pessoas têm herpes sem saber e vão tendo surtos ao longo do tempo. Cerca de duas semanas após a transmissão do vírus pode haver um primeiro episódio geralmente mais grave do que os seguintes.

Manifesta-se através de pequenas vesículas (bolhas) ou úlceras vermelhas na região genital e/ou anal, bem como dor quer próximo dos genitais, quer na face interna das coxas. Podem ainda ocorrer sintomas tipo gripe: febre e dores musculares.

Este primeiro episódio pode durar até três semanas. Pode ser transmitida de mãe para filho durante a gravidez e parto vaginal.

 

Verrugas genitais

São causadas pelo vírus do papiloma humano, o mesmo que é responsável pelo cancro do colo do útero. A infecção dá origem à formação de verrugas, acinzentadas ou da cor da carne, na região genital; podem surgir isoladamente ou agrupadas como se fossem uma couve-flor.

Além de desconforto e dor, as verrugas podem sangrar durante o acto sexual. Nas mulheres, crescem na vulva, nas paredes da vagina, no espaço entre a vagina e o ânus e no colo do útero. Nos homens, surgem ao longo do pénis e no ânus. Mas também podem irromper na boca ou garganta de uma pessoa que tenha praticado sexo oral com outra infectada. Mas os vírus do papiloma humano que não causam verrugas não dão geralmente sintomas.

 

HIV/Sida

O vírus da imunodeficiência humana, que causa a sida, interfere com a capacidade de o organismo combater os agentes infecciosos, o que abre caminho à doença. Quando a pessoa é infectada, não desenvolve de imediato sintomas, sendo que os primeiros incluem febre, dores de cabeça, fadiga, inchaço das glândulas linfáticas e erupção cutânea. São sintomas que, geralmente, desaparecem ao fim de uma semana a um mês, podendo ser confundidos com os de outra infecção vírica. Durante este período, a possibilidade de contagiar outras pessoas é muito elevada.

À medida que o vírus se vai multiplicando e destruindo células do sistema imunitário, surgem outros sintomas: diarreia, perda de peso, tosse e dificuldade em respirar. Na fase mais tardia da infecção por HIV a fadiga torna-se persistente e sem razão, surgem suores nocturnos, tremores e febre elevada por várias semanas, as dores de cabeça são persistentes e a diarreia crónica. Os nódulos linfáticos continuam inchados.

[Continua na página seguinte]

Sífilis

Trata-se de uma infecção bacteriana que afecta os genitais, a pele e as membranas mucosas, mas que pode estender-se a outras zonas do corpo, como o cérebro e o coração. Os sintomas desenvolvem-se em quatro fases.

Páginas: 1 2 3

ÁREA RESERVADA

|

Destina-se aos profissionais de saúde

Informações de Saúde

Siga-nos

Copyright 2017 Médicos de Portugal por digital connection. Todos os direitos reservados.