Hiperactividade - Médicos de Portugal

A carregar...

Hiperactividade

26 Março, 2010 0

A hiperactividade é dominantemente uma perturbação da atenção e da concentração e pode manifestar-se em crianças, adolescentes e adultos. Não é ainda completamente conhecida a origem deste tipo de perturbação.

Vários autores e estudos apontam no sentido de ter uma origem neurobiológica; contudo ainda não é totalmente claro o papel da componente fisiológica. Há também autores que defendem a teoria que na base da perturbação de hiperactividade está uma perturbação de ansiedade e/ou emocional. A DSM-IV descreve a Perturbação de Deficit de Atenção com Hiperactividade como sendo uma perturbação caracterizada pela existência de comportamentos hiperactivos, associados a dificuldades elevadas ao nível da atenção e da concentração.

As pessoas com dificuldades em concentrarem a atenção nas tarefas que estão a realizar tendem a se dispersarem, cansarem e desinteressarem com muita facilidade. Muitas vezes são também impulsivos dado que têm dificuldade em manter a calma para poderem pensar sobre as suas acções.

Esta perturbação pode iniciar-se na infância precoce e a acompanhar o desenvolvimento da criança até à adolescência ou até à idade adulta. Esta perturbação pode comprometer seriamente o desenvolvimento cognitivo e emocional, assim como dificuldade a progressão no percurso escolar.

Devemos estar atentos aos seguintes sinais/comportamentos de qualquer criança:

» Não prestar atenção suficiente aos pormenores ou cometer erros por descuido nas tarefas escolares, no trabalho ou noutras actividades lúdicas.

» Ter dificuldade em manter a atenção em tarefas ou actividades.

» Parecer não ouvir quando se lhe dirigem directamente.

» Não seguir as instruções e não terminar os trabalhos escolares ou outras tarefas.
Ter dificuldade em organizar-se.

» Evitar as tarefas que requerem esforço mental persistente.

» Perder objectos necessários a tarefas ou actividades que terá de realizar.

» Distrair-se facilmente com estímulos irrelevantes.

» Esquecer-se com frequência de actividades quotidianas ou de algumas rotinas.

» Movimentar excessivamente as mãos e os pés e mover-se quando está sentado.

» Levantar-se na sala ou noutras situações em que se espera que esteja sentado.

» Correr ou saltar excessivamente em situações em que é inadequado fazê-lo.

» Ter dificuldade para se dedicar tranquilamente a um jogo.

» Agir como se estivesse ligado a um motor.

» Falar em excesso.

» Precipitar as respostas antes que as perguntas tenham acabado.

» Ter dificuldade em esperar pela sua vez.

» Interromper ou interferir nas actividades dos outros (intrometer-se nas conversas ou nos jogos).

[Continua na página seguinte]

Devemos também ter em atenção que muitos destes sinais ou indicadores podem aparecer sem se tratar verdadeiramente de uma perturbação de hiperactividade.

Actualmente muitas crianças são educadas num clima afectuoso e descontraído e, nesse ambiente, nem sempre são devidamente orientadas a terem disciplina, persistência e capacidade de focalizar a atenção. A capacidade de concentração e a atenção podem e devem ser treinadas como qualquer outra competência cognitiva como, por exemplo, a as competências linguísticas, musicais e a memória.

Algumas crianças poderão apresentar os sinais acima descritos e não terem uma verdadeira perturbação de hiperactividade, mas necessitarem de um treino mais intenso e rigoroso para exercitarem estas capacidades.

Páginas: 1 2

ÁREA RESERVADA

|

Destina-se aos profissionais de saúde

Informações de Saúde

Siga-nos

Copyright 2017 Médicos de Portugal por digital connection. Todos os direitos reservados.