Alzheimer » Excertos do Livro "Manual do Cuidador""" - Médicos de Portugal

A carregar...

Alzheimer » Excertos do Livro “Manual do Cuidador”””

31 Maio, 2005 0

Como ajudar a vestir, Vida do dia-a-dia e Manual do Cuidador.

Como ajudar a vestir:

-Tente dar assistência sem fazer tudo;
-Vá dando coragem e tranquilizando a pessoa;
-Conceda-lhe bastante tempo para se vestir;
-Limite a escolha a dois fatos diferentes;
-Disponha discretamente roupas limpas, caso seja necessário;
-Ponha os fatos menos próprios de lado;
-Tenha cuidado com os casos de incontinência ou esquecimento em trocar de roupa;
-Simplifique o processo de maquilhar as senhoras.

Vida do Dia-a-Dia

HIGIENE PESSOAL (Lavar, Barbear, Pentear e tratar das unhas)

“O meu pai não gostava de tomar banho. Penso que ele tinha vergonha de que a filha o visse nu. Falei então com as pessoas do Hospital de Dia que ele frequenta, e elas concordaram em experimentar. A enfermeira não teve problemas em convencê-lo a tomar um banho com a ajuda dela.”

As pessoas com demência, em regra necessitam de progressivamente mais assistência pela sua higiene pessoal. À medida que a doença progride, podem perder a capacidade de utilizar objectos tais como pentes e escovas de dentes. Podem também esquecer-se do que são estes objectos, e, mais importante, da sua finalidade; esquecer-se de que há uma tarefa por cumprir, ter a impressão de que já a fizeram, ou perder o interesse em manter o interesse em ter tudo limpo e com bom aspecto. Em todo o caso, o facto da pessoa precisar de mais ajuda, não quer necessariamente dizer que vai gostar de a receber. Por vezes pode acabar por ser mesmo uma luta. Pode ficar ressentida, por depender de si, e sentir que estão a invadir a sua privacidade. Como cuidador, vê-se a contas com a tarefa de prestar assistência à medida das diferentes necessidades da pessoa, ao mesmo tempo que respeita a sua privacidade e independência.

Como lidar com as dificuldades relativas à higiene pessoal

Respeite a necessidade de privacidade e a dignidade da pessoa com demência.

Estar presente, enquanto a pessoa com demência se lava, para vigiar ou prestar assistência, pode ser desgastante e embaraçoso. A maior parte das pessoas começaram a lavar-se sozinhas desde muito cedo, em crianças, e não vão aceitar facilmente a sua presença durante essa actividade. O grau de embaraço depende da relação que têm consigo, se são do mesmo sexo, e do grau de assistência de que necessitam. Em alternativa, se a pessoa vai a um Centro de Dia, pode providenciar para que arranjem alguém para tratar da sua higiene.

Pode ser que a pessoa com demência precise de tomar um banho ou um duche sozinha. É uma precaução útil, retirar os fechos do lado de dentro da porta, na casa-de-banho. Caso contrário a pessoa pode fechar-se à chave, e esquecer-se disso, ou não ser capaz de voltar a abrir. Isso pode pô-los em pânico. Além disso, se a pessoa tiver um acidente no banho, adormecer ou se esquecer de sair da banheira, teria dificuldade em entrar na casa-de-banho. A fim de respeitar a privacidade da pessoa, talvez possa arranjar um sinal para a porta da casa-de-banho, avisando sempre que lá esteja alguém.

Encoraje a independência

Há várias formas de dar assistência, dependendo do nível de compreensão e da capacidade da pessoa com demência. Por exemplo, pode deixar a pessoa lavar-se sozinha, dando só uma pequena ajuda, quando necessário, ou pode explicar-lhe ou demonstrar, passo por passo, o que fazer. Se possível, deixe-a começar ou terminar tarefas sem ajuda, dando assistência ou finalizando só, quando necessário. Se a pessoa ainda consegue compreender figuras ou escrita, pode usar notas ou imagens, como pequenas ajudas. Uma outra hipótese é preparar tudo antes, e deixá-la depois lavar-se sozinha ( prepare, por ex., uma muda de roupa limpa, corra a água do banho, aqueça previamente a casa-de-banho, disponha as toalhas, o champô e o sabonete, etc).

Transforme o banho numa actividade agradável

É importante que o momento da higiene diária seja tão agradável quanto possível. Isso será pouco provável se o quarto estiver demasiado frio e desconfortável, ou se a pessoa com demência se sentir pressionada para se despachar, ou envergonhada, tratada como uma criança, receosa ou apressada. Embora seja importante assegurar-se de que a pessoa se lava bem e com regularidade, tomar um banho não deve ser sentido como uma obrigação. Como qualquer outra pessoa, podem apreciar sabonetes, pó de talco, espuma de banho ou música, etc.

Barbear

Os homens com demência podem por vezes ter dificuldade em se barbear. Mas isso pode depender do método de barbear que usam. Os homens com uma “gilette” tradicional, podem começar a ter dificuldades em manejá-la, e cortam-se. Uma solução é estar por perto, ou então passar a barbeá-lo. Em todo o caso é importante saber que, ao fazê-lo, pode estar a privá-lo de parte da sua independência. Uma solução alternativa é persuadi-lo a usar uma máquina de barbear de ligar à corrente, ou a pilhas. Encorajá-lo a continuar a barbear-se todos os dias é, não só prolongar a sua independência, como também contribuir para prolongar o interesse na sua aparência e manter a sua moral. Se os problema aumentarem, pode justificar-se incentivá-lo a deixar crescer uma barba.

Lavar a cabeça

Além de conservar a cabeça limpa e arranjada, um bom corte de cabelo pode ajudar a manter a auto-estima. Uma ida ao cabeleireiro, ou uma vinda do cabeleireiro a casa, pode por isso ser uma muito boa ideia. Talvez seja preferível lavar a cabeça da mesma forma a que a pessoa estava habituada até aí, assegurando-se de que isso não está a ser desconfortável ou doloroso para ela. Uma hipótese, é usar um sistema de duche. Outra solução, pode ser usar um champô seco de vez em quando. Se achar que é difícil lavar-lhe cabeça na mesma altura em que lhe dá banho, pode ser preferível separar as duas coisas. Um corte curto é geralmente mais fácil de tratar.

Unhas

As pessoas com demência podem achar difícil, não ser capaz, ou simplesmente esquecer-se de cortar as unhas dos pés e das mãos. É uma boa ideia certificar-se de que isso foi feito, pois as unhas que não são cortadas podem causar problemas.

Faça com que a casa-de-banho seja um lugar seguro

Podem-se colocar apoios para as mãos nas paredes da casa-de-banho, para ajudar a pessoa com demência a mover-se dum lado para o outro, e poder entrar e saír da banheira. Pode também ser útil ter um assento no casa-de-banho e uma mangueira para duche, para poderem tomar duche dentro da banheira. Pode mesmo pôr uma cadeira de plástico na cabine de duche, quando há dificuldade em ficar de pé, ou se desequilibram e correm risco de escorregar. Para evitar este risco, assegure-se que todos os tapetes das casa-de-banho estão bem fixos. É uma boa ideia retirar quaisquer objectos desnecessários da casa-de-banho, que possam causar confusão ou ser utilizados para outro fins, como por exemplo um cesto de papéis, em lugar da sanita. Os objectos de que a pessoa vai precisar, podem ser deixados preparados ou serem-lhe dados à medida que vão sendo precisos.

Páginas: 1 2

ÁREA RESERVADA

|

Destina-se aos profissionais de saúde

Informações de Saúde

Siga-nos

Copyright 2017 Médicos de Portugal por digital connection. Todos os direitos reservados.