À descoberta dos famosos dentes do juízo - Médicos de Portugal

A carregar...

À descoberta dos famosos dentes do juízo

7 Dezembro, 2011 0

Os dentes do siso, ou 3ºs molares, são os dentes que apresentam um comportamento mais variável e imprevisível. Apesar de normalmente, erupcionarem por volta dos 18 anos, tal poderá acontecer um pouco antes ou bastante depois desta idade. Conheça melhor os famosos “dentes do juízo” e esclareça as suas dúvidas.

Devido ao seu volume, estes dentes necessitam de bastante espaço para erupcionar. “Desta forma, é necessário esperar pelo desenvolvimento da estrutura óssea que ocorre normalmente após os 12 anos de idade, que garantirá o espaço para o siso. Isto é, é necessário esperar pelo desenvolvimento da arcada, que ocorre numa idade em que todos os outros dentes, normalmente, já erupcionaram”, esclarece o Dr. Jaime Portugal, médico dentista, professor da Faculdade de Medicina de Lisboa (FMDUL) e presidente da Sociedade Portuguesa de Estomatologia e Medicina Dentária (SPEMD).

A sua correcta erupção depende fundamentalmente de dois factores, segundo o especialista: “um correcto posicionamento do gérmen dentário e um adequado desenvolvimento e crescimento da arcada dentária, permitindo a criação do espaço necessário para que tal aconteça”. Não raras vezes, os dentes do siso ficam retidos ou inclusos no interior do osso. Nesses casos, poderão nunca erupcionar ou erupcionar anos mais tarde, normalmente após a extracção de dentes que estão situados anteriormente na arcada dentária. “Existem alguns casos mais extremos em que os sisos podem erupcionar em pacientes com 60, 70 ou mais anos”, adianta Jaime Portugal. São bastantes os casos de pessoas em que se verifica a ausência de um ou mais sisos. “Provavelmente daqui a milhões de anos, os nossos descendentes não terão estes dentes.”

 

Quando é necessário extrair os dentes do siso?

Esta é uma questão que só poderá ser avaliada pelo seu médico dentista ou estomatologista. “São diversas as vezes, talvez a maioria, em que o siso fica incluso ou erupciona mal posicionado, podendo levar ao aparecimento de uma série de sintomas. Nestes casos, poderá ser necessário a sua extracção”, salienta o presidente da SPEMD. Por outro lado, estes dentes apresentam uma anatomia muito variável e localizam-se muitas vezes em posição de difícil acesso. “Por estas razões e, porque na maior parte das vezes, os sisos não são necessários para uma mastigação eficaz, quando se desenvolvem cáries extensas nestes dentes, o médico dentista ou estomatologista poderá optar pela sua extracção”, justifica Jaime Portugal. Nem os sisos, nem os doentes são todos iguais. “Cada caso deverá ser criteriosamente avaliado de forma independente”

 

Inflamação da gengiva do dente do siso

Devido à falta de espaço ou à sua mal posição, o dente do siso poderá não erupcionar totalmente, ficando com gengiva a cobrir parte do dente. “Este facto irá dificultar a sua higiene, o que poderá conduzir ao desenvolvimento de cárie ou inflamação da gengiva, patologia que neste caso recebe o nome de pericoronarite”, adianta Jaime Portugal. Dependendo da gravidade e da frequência com que aparece, o tratamento poderá ir de uma simples toma de antibióticos e anti-inflamatórios até à extracção do dente em questão. “Mais uma vez, o tipo de tratamento mais indicado só poderá ser determinado pelo médico dentista ou estomatologista”, esclarece o presidente da SPEMD.

Três cuidados gerais com os dentes
Por Jaime Portugal

Páginas: 1 2

ÁREA RESERVADA

|

Destina-se aos profissionais de saúde

Informações de Saúde

Siga-nos

Copyright 2017 Médicos de Portugal por digital connection. Todos os direitos reservados.